jusbrasil.com.br
18 de Outubro de 2019

O desenvolvimento da moeda como forma de evolução do pensamento social.

Breve resumo sobre a criação e desenvolvimento da moeda e sua contribuição para a evolução do pensamento social.

Rafael Rodrigues de Souza, Estudante de Direito
há 2 meses

INTRODUÇÃO

  Devido a observância de diversas moedas espalhadas pelo mundo todo e o surgimento de outras mais (as criptomoedas), cria-se procedente para entender a história e o desenvolvimento da moeda e as formas de pagamento que imperavam antes delas, bem como a evolução do pensamento social firmada neste processo.

DESENVOLVIMENTO

  Por volta de 10.000 anos A.C, iniciou-se o plantio dos primeiros grãos no chamado Crescente Fértil, tais grãos serviam de alimentos para os humanos e para os animais que conseguiam domesticar. Por aferir alimentos, mais nômades passaram a se incorporar na pequena sociedade, o que gerou segurança, e, somando todos esses atrativos, as sociedades foram crescendo e desta forma a produção de alimentos também, chegando a um ponto onde era produzido mais alimentos do que se podia consumir, então ao invés de simplesmente dividir tudo com todos, as pessoas guardavam para realizar o chamado escambo com outros indivíduos da mesma sociedade utilizando os próprios alimentos como moeda corrente.

  Tal sistema mostrou-se promissor ao início, mas não tardou a apresentar problemas a longo prazo, haviam produtores de determinado produto que só conseguia ser produzido em determinada época do ano, ou então outro produto que era tão fácil de produzir que muitas pessoas o faziam, situações como esta inviabilizavam a completa realização do escambo, ficando o indivíduo sem uma moeda específica para realizar as permutas, desta forma padecendo.

  Toda esta situação mostrou-se necessária a criação de um sistema que poderia ser utilizado em qualquer situação, algum bem que poderia ser dividido em uma mínima parte e mesmo assim permanecer com o seu valor relativo, foram usados os mais variados objetos para tal objetivo como facas e espadas, conchas, couro, sal, mas destes os que mais se popularizaram foram os metais preciosos, tais como ouro, prata e bronze. Eram objetos pequenos que podiam ser guardados em pequenas quantidades e que possuíam valores diferentes entre si de acordo com a dificuldade para encontra-los na natureza.

  Acontece que os metais preciosos eram muito almejados, e um tanto quanto fáceis de serem roubados, por conta disto, os senhores feudais depositavam seu ouro em um lugar onde se poderia chamar de seguro, nas “oficinas do ourives”, quando faziam isto recebiam uma espécie de cheque onde mostrava o valor depositado e por quem fora.

  A perda de espaço para o papel-moeda fez com que os metais preciosos perdessem seu valor de moeda, passando a serem valorizados apenas pela sua beleza e durabilidade. Com o aumento da complexidade das relações econômicas, o papel-moeda vem cada vez mais perdendo espaço para outras formas de pagamento, como cheques e cartão de crédito.

  Alguns grupos não satisfeitos por terem que confiar em um único órgão centralizador, desenvolveram as chamadas criptomoedas através da tecnologia do Blockchain que permite inúmeros operadores da rede validar tais operações, tal tecnologia vem ganhando crescente espaço no mercado mundial.

CONCLUSÃO

  Em todos os momentos históricos houve uma moeda para viabilizar e efetivar as transações, desde a evolução agrícola até os dias atuais, os seres humanos vêm percebendo a mudança de tais moedas e as acompanha, ou seja, vem adotando um pensamento social, não pensando como um só, mas pensado como parte de um todo. Atualmente as criptomoedas vêm tomando espaço no mercado mundial, adeptos à tecnologia já têm se posicionado com a justificativa de que contribuirá para o desenvolvimento do pensamento social. Portanto, pode-se dizer que o desenvolvimento da moeda foi só mais uma das ramificações que a evolução do pensamento social contribuiu para a sociedade.

REFERÊNCIAS

FRANCO, André. CRIPTOMOEDAS: MELHOR QUE DINHEIRO/André Franco, Vinicius Bazan; prefácio Safiri Felix. – São Paulo: Empiricus, 2018.

ABDALLA, Ricardo. A evolução dos meios de pagamento, da pré-história à Internet das Coisas. Ecommerce Brasil, 2017. Disponível em: <https://www.ecommercebrasil.com.br/artigos/evolucao-dos-meios-de-pagamento-da-pre-historia-internet- ...;

A EVOLUÇÃO da moeda. Portal Educação. Disponível em: ;

0 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)